Monthly Archives: fevereiro 2017

Quadro "Alone in the fog" do pintor bielorrusso Leonid Afremov (2014)

Caminhante, de Antonio Machado, o poeta existencialista

Caminhante, um dos poemas mais divulgados de Antônio Machado, concentra interessante conteúdo filosófico referente à questão da prioridade essência e existência. Aliás, característica presente em outras criações do poeta existencialista que fez parte da “Geração de 98”, como era denominado o grupo de escritores espanhóis (Jose Ortega Y Gasset, Miguel de Unamuno, entre outros) cujas críticas literárias giravam em torno de uma época marcada por grande atraso social e econômico ulterior à derrota militar na Guerra Hispano-Americana e a decorrente perda de Porto Rico, Cuba e Filipinas, em 1898, para os EUA. Continue reading

Adorno e Horkheimer

A “Dialética do Esclarecimento”, de Adorno e Horkheimer

Os filósofos frankfurtianos Theodor Adorno e Max Horkheimer propuseram-se a árdua tarefa, na obra de 1947, Dialética do Esclarecimento (DE), de descobrir por que a humanidade, ao invés de entrar em um estado verdadeiramente humano, de civilidade, estaria se afundando em uma espécie de barbárie.

De início, os autores subestimaram a dificuldade de tal exposição, pois ainda depositavam excessiva confiança no potencial crítico da consciência em voga, imaginando poder encontrar a solução dentro da realidade existente através do recurso crítico à teoria das disciplinas tradicionais, como a sociologia, a psicologia e a teoria do conhecimento (epistemologia). Continue reading

Quadro de Lesley Oldaker, "Crossing Paths" (2014).

Sublimação: a cura para o mal-estar na civilização

Como podemos ser felizes? Eis a questão cuja resposta perturba a humanidade, sendo objeto de estudo de muitos pensadores no decorrer da história. Com Sigmund Freud não seria diferente. Conhecido como o pai da Psicanálise, o médico debruçou-se sobre o tema fazendo surgir uma nova compreensão do ser humano, este ser, segundo ele, dotado de uma razão imperfeita influenciada por desejos e sentimentos, os impulsos, constantemente contraditórios frente à condição própria de ser biopsicossocial que caracteriza nossa espécie. Continue reading