Monthly Archives: março 2017

Jürgen Habermas, Vienna, 2004.

O Estado de bem-estar social à luz da concepção habermasiana

RESUMO: O objetivo deste artigo é discutir a proposta habermasiana de uma esfera pública crítica, desde a sua origem até a sua reabilitação no cerne do programa de Estado de bem-estar social. Se, primeiramente, Habermas nega a possibilidade de coexistência entre uma esfera pública que age comunicativamente embasada pela racionalidade com um Estado fortemente interventor e contrário aos pressupostos liberais da economia de mercado, em um segundo momento, em resposta à hegemonia neoliberal do final do último século, o autor a reabilita como a força propulsora de um sistema de governo intervencionista e aponta os ideais para que ela se realize. Ao mesmo tempo, será demonstrado como o programa de Estado de bem-estar social pôde se desenhar nessa conjuntura até o ponto de retirar a categoria trabalho de sua centralidade utópica fazendo erigir novos preceitos sob um democratismo radical. Continue reading

Quadro de Tarsila do Amaral, "Operários" (1933).

Trabalho estranhado e Propriedade privada

A obra de Karl Marx, Manuscritos Econômico-Filosóficos, publicada em 1932, também conhecida como “Manuscritos de Paris” e “Manuscritos de 1844”, é composta por três manuscritos. Trata-se de uma obra incompleta que, segundo seus intérpretes, constitui a “Introdução à Economia” de Marx – embora ele não tenha, até então, demonstrado autonomia para falar do assunto, limitando-se a citar outros autores.

A relação entre os pares conceituais determinados “Trabalho estranhado e Propriedade privada” é o leitmotiv da obra em questão; falar de um remete ao outro, pois ambos os conceitos não podem ser dissociados. Continue reading